domingo | 21.04 | 7:23 AM

Netflix tenta barrar acesso a conteúdo fora de área e bloqueia IPs residenciais

0Comentário(s)

Foto: Divulgação/Netiflix

A Netflix parece estar aumentando a força de seu combate contra os serviços de redes privadas (VPN, na sigla em inglês), como forma de impedir que os assinantes acessem conteúdos com restrição geográfica. A nova ação, agora, seria o bloqueio de endereços IP residenciais, muitas vezes usados por plataformas do tipo para ultrapassar impedimentos desse tipo; com isso, muitos usuários legítimos também estão sendo atingidos.

Os relatos se acumulam em redes sociais como Twitter e Reddit, com maioria de casos nos Estados Unidos. Os afetados ainda conseguem acessar o serviço de streaming sem problemas, mas podem assistir apenas às produções originais da Netflix, disponíveis internacionalmente, e alguns materiais licenciados que também estejam disponíveis em diferentes países. Quem tenta acessar um título diretamente pela URL, entretanto, vê a já conhecida mensagem de que a plataforma detectou o uso de VPN.

Seria um efeito colateral direto dos bloqueios, já que os IPs residenciais, apesar de usados por tais plataformas para escapar das restrições, também podem ser atribuídos pelas operadoras de telefonia para usuários legítimos. A maioria dos casos também parece ter surgido nesta semana, uma indicação de que a medida é a nova arma da Netflix para lidar com o uso de soluções assim pelos seus usuários.

Por meio do Twitter, a empresa responde a reclamações pedindo que os clientes entrem em contato com suas operadoras de telecom relatando o caso e indicando que seus endereços estão sendo detectados como VPN, mesmo não sendo este o caso. Em comunicado enviado à imprensa internacional, a Netflix confirmou o bloqueio e também a visualização de apenas parte dos conteúdos pelos usuários identificados como tal, indicando, porém, que está trabalhando nos casos em que essa restrição foi aplicada de maneira incorreta.

A luta da Netflix contra os serviços de proxy e VPN vem desde meados de 2015, quando vieram à público as primeiras informações sobre isso. Entre banimentos de contas e restrições de acesso, a ideia da empresa é garantir a validade de contratos de licenciamento e outros aspectos regionais na disponibilização de títulos, justamente o motivo pelo qual muita gente usa plataformas assim, que mascaram a conexão como se viesse de outro país para ter acesso a mais materiais com a assinatura local.

É um combate, também, que deve continuar. A WeVPN, uma das principais responsáveis por levar os casos de bloqueio à imprensa internacional, já disse estar trabalhando em uma solução que voltou a permitir o acesso à Netflix por seus usuários; outras empresas, como CyberGhost e Private Internet Access, também disseram que conseguiram burlar as novas proibições em menos de 24 horas desde a aplicação delas.

Fonte: TorrentFreak

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *