domingo | 21.04 | 8:31 AM

A história do bairro Santo Antônio Além do Carmo

0Comentário(s)

Se você gosta de História, certamente irá se apaixonar pelo Santo Antônio Além do Carmo, um dos bairros mais antigos de Salvador. Localizado no Centro Histórico e que faz limites com o Barbalho, Nazaré, Pelourinho, dentre outras localidades.

O primitivo bairro data do século XVII. O Santo Antônio Além do Carmo lembra uma típica cidadezinha do interior, com suas ruas de calçamentos de pedras, casarões antigos, casinhas com decorações nas fachadas e a secular igreja no largo.

E sem contar com a pracinha onde crianças se divertem e ao redor, a galera se reúne para tomar uma geladas. No passado, o secular bairro ficava fora dos limites dos muros que cercavam/delimitavam a cidade de Salvador.

O histórico local, onde se preza as tradições seculares, como por exemplos, as concorridas Trezenas de Santo Antônio e a distribuição de pãezinhos com o nome do santo português casamenteiro. São mutos bares que atraem “gregos e baianos”, como os tradicionais Cruz do Pascoal, Ulisses, Zanzibar (funciona na antiga ONG ACasa Sarajane), dentre outros.

O aconchegante bairro que já foi moradia de Gilberto Gil e atualmente é uma das residências da atriz Regina Casé. O Santo Antônio Além do Carmo ficou conhecido nacionalmente, por servir de local para gravações de muitas cenas da novela “Segundo Sol” (2018).

A novela global despertou a ira de parte da classe artística da terrinha e dos moradores, pois seu elenco inicial, era composto quase que exclusivamente de atores e atrizes brancos, representando o povo soteropolitano, que é predominantemente negro.

No local, encontramos a histórica e secular Igreja de Santo Antônio Além do Carmo, datada do século XVI. A primeira igreja foi construída no ano de 1594. Em 1813 foi reconstruída e ampliada, exibindo sua bela fachada com detalhes rococó.

Tá gostando da matéria? Veja aqui mais histórias sobre Salvador!

Seu púlpito dourado serviu para o padre Antônio Vieira (1608/1697) pregar os seus famosos sermões, contra a invasão holandesa na cidade em 1624. Encontramos também o belo Oratório da Cruz do Pascoal, construído em 1743, pelo português, morador do local chamado Pascoal Marques de Almeida, devoto de Nossa Senhora do Pilar.

O oratório público de sete metros de altura, cujo gradil data de 1874 e possui no alto um nicho dedicado à Nossa Senhora do Pilar. Encontramos também o Forte da Capoeira, cujo nome oficial é Forte de Santo Antônio Além do Carmo, e que foi construído em 1630.

Sua estrutura atual é de 1695. O forte, no século XIX, foi transformado em cadeia da cidade, estado ali confinados os participantes da Revolta dos Malês, de 1835. Em 2006 passa a abrigar um centro de memória e revitalização da Capoeira, atraindo turistas de várias partes do mundo. Podemos apreciar a bela Igreja da Ordem Terceira de Nossa Senhora do Boqueirão dos Homens Pardos, datada do século XVIII.

A secular igreja, já em 1750, estava edificada no local. O Plano Inclinado Pilar liga o boêmio Largo da Cruz do Pascoal à Cidade Baixa, no Comércio. Entrou em funcionamento entre 1895 e 1897. Foi desativado em 2013 por falhas na segurança, apresentando problemas nos freios e no sistema de capotamento.

*Adson Brito é professor de História com formação em Psicologia e Filosofia. Texto reproduzido da página do Facebook Salvador Tem Muitas Histórias, mantida por ele.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *