sexta-feira | 19.07 | 10:10 AM

Escolas municipais participam da 16ª Olimpíada Brasileira de Matemática

0Comentário(s)

Foto: Divulgação/Secretaria Municipal da Educação

A Escola Municipal Padre Norberto, localizada no bairro Alto do Cabrito (GRE São Caetano), é uma das unidades de ensino da Rede Municipal que está participando da 16ª edição da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas e Privadas (Obmep). A prova da primeira fase foi aplicada pela escola no dia 3 de agosto para os estudantes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental.

“Tivemos um resultado muito expressivo. Fizemos a correção das provas e muitos estudantes acertaram mais da metade das questões. Nossos estudantes, apesar das situações adversas, são muito esforçados, então esse resultado não me surpreende, só tenho que parabenizá-los”, disse a vice-diretora da escola, Aline Gomes.

Segundo ela, alguns estudantes participaram da Olimpíada sob orientação remota e outros na unidade escolar. “No total, 210 alunos fizeram a prova. Sou vice-diretora da escola e também professora de Artes e fiz a aplicação. Então, acompanhei tudo de perto. É sempre interessante poder testar os estudantes e apresentá-los aos desafios de avaliações externas”, comemorou.

A Escola Municipal 2 de Julho, localizada no bairro Trobogy (GRE Cajazeiras) também está participando da Obmep e a prova foi aplicada no dia 23 de julho para os estudantes do 8º ou 9º ano do Ensino Fundamental. Segundo o professor de Matemática, Eduardo Luís Araújo, o Instituto de Matemática Aplicada (Impa), organizador da Olimpíada, flexibilizou as datas de aplicação das provas. “Foi um regulamento pensado no momento que estamos vivendo de pandemia de modo a resguardar a saúde dos estudantes”, disse.

De acordo com a gestora da unidade, Generosa de Jesus, 105 alunos fizeram as provas. “Mesmo não sendo obrigatória a participação dos alunos, pois essa é uma das regras do exame, lançamos a ideia na fé, e com isso, foi uma grande surpresa o número de alunos que participaram”, afirma.

Giselle Andrade, 13, estudante do 8º ano, disse não gostar da disciplina, mas considerou importante participar da avaliação. “A prova estava bem fácil. Eu fiz questão de fazer presencialmente, junto com os meus colegas, para mostrar o nosso interesse em voltar para escola. Estou na expectativa de tirar uma boa nota nessa primeira fase”, declarou.

Fonte: Secom/Secretaria Municipal da Educação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *