domingo | 16.06 | 9:23 AM

Vacinas para cachorro: veja 7 informações importantes

0Comentário(s)

Foto: Reprodução/Blog Petz

Quando foi a última vez que o seu bichinho foi vacinado? As vacinas para cachorro protegem os peludos de diversas doenças. Por isso, todo tutor deve ficar atento e garantir que a carteirinha de vacinação do pet fique sempre em dia. 

Embora muitas pessoas não saibam, não basta vacinar o peludo apenas enquanto ele é filhotinho. É preciso garantir que ele receba o reforço vacinal todos os anos! Isso deve ser feito na data estabelecida pelo médico-veterinário.

Será que o seu bichinho está realmente protegido? Tire as suas dúvidas sobre a importância da vacinação e descubra quando as primeiras vacinas para cachorro devem ser aplicadas!

Vacinas para cachorro: por que elas são importantes? 

Por que vacinar? Os animais podem ser acometidos por diversas doenças, sendo que algumas delas têm um tratamento muito complicado, que nem sempre dá certo. É o caso da cinomose, por exemplo. Uma vez que o pet é diagnosticado, o tratamento pode ser iniciado, mas a cura nem sempre é viável. 

Por isso, o melhor é a prevenção. Vacinar o cachorro é a melhor maneira de prevenir muitas doenças. Com a aplicação da vacina, o sistema de defesa do pet é estimulado.

Assim, ele produz células especiais, que o protegerão contra determinada doença. Se o animal de estimação entrar em contato com o vírus ou a bactéria que causa aquela enfermidade, a célula de defesa já estará pronta. 

Dessa forma, quando o microrganismo entrar no organismo do cão, a célula de defesa irá atacá-lo, impedindo que o agente causal se multiplique e deixe o peludo doente. 

Quando aplicar a primeira vacina para cachorro? 

Caso o peludinho esteja muito exposto aos agentes externos, ou seja, precise ficar em uma creche ou viajar constantemente com o tutor, a primeira vacina do cachorro pode ser aplicada com quatro semanas de vida. 

Já para os cães que não têm tanta exposição, o protocolo de vacina pode começar entre seis e oito semanas de idade. No geral, o intervalo de vacinação no primeiro ano é:

  • 45 dias de vida: vacina múltipla (V6, V8 ou V10);
  • a partir de 8 semanas de idade: vacina da tosse dos canis. Deverá ser repetida com intervalo de 2 a 4 semana;
  • 60 dias de vida:  segunda dose da vacina múltipla;
  • 90 dias de vida: terceira dose da vacina múltipla;
  • 6 meses: aplicação da vacina contra raiva em cachorro.

Quais são os tipos de vacinas para cachorros?

Há vários tipos de vacinas para cachorro. Quem decidirá quais delas o peludo deverá tomar é o médico-veterinário. No entanto, algumas são comumente indicadas. É o caso da:

  • vacina múltipla ou polivalente (V8 e V10);
  • vacina antirrábica;
  • vacina contra a gripe canina ou a tosse dos canis;
  • vacina contra a leishmaniose.

Qual é a melhor vacina: V8 ou V10?

Ambas as vacinas para cachorro são boas e protegem o peludo adequadamente. A diferença é que a V10 tem duas cepas a mais de leptospirose que a V8. Por isso, o importante é dar uma vacina múltipla, inerentemente de qual das duas. 

  • V8 protege contra: cinomose, coronavirose, hepatite infecciosa canina, leptospirose (sorovares Canicola e Icterohaemorrhagiae), parainfluenza e parvovirose;
  • V10 protege contra: cinomose, coronavirose, hepatite infecciosa canina, leptospirose (sorovares Canicola, Icterohaemorrhagiae, Grippotyphosa e Pomona), parainfluenza e parvovirose.

Cachorro adulto adotado pode ser vacinado? 

Sim, no entanto, é preciso que, antes da aplicação da vacina, ele seja examinado pelo médico-veterinário. Assim, o profissional poderá avaliar se ele está bem de saúde e pronto para receber os diferentes tipos de vacina para cachorro.

Devo vacinar meu cachorro idoso?

Antes de aplicar as vacinas para cachorro em animais idosos, é importante que o animal passe por um exame físico detalhado. Isso permitirá que o médico-veterinário ausculte o pulmão e o coração para identificar alguma doença. Em alguns casos, dependendo do problema, pode ser que a vacinação não seja indicada no momento.

O profissional também vai avaliar a exposição do animal a outros cães ou à rua antes da aplicação das vacinas para cachorro. Em suma, a vacina é indicada, mas só depois de um bom exame para avaliar a saúde do peludo. 

Vacinas para cães têm efeitos colaterais?

A reação vacinal pode existir, e há dois tipos. O primeiro deles é quando o cachorro fica mais quietinho e reclama de dor no lugar no qual foi feita a aplicação, por estar com a região mais sensível. Também há alguns pets que ficam com falta de apetite nas primeiras horas. 

Contudo, existem casos de reações alérgicas, em que o animal fica com o focinho e ao redor dos olhos inchados. Caso isso aconteça, é preciso levar o pet para atendimento rápido. Assim, ele poderá ser atendido e, logo, ficará bem. 

Fonte: Blog Petz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *